Coneflan colabora para a reestruturação do cenário econômico brasileiro

INA apresenta acréscimo no ajuste sazonal após paralização dos caminhoneiros

No mês de junho o Indicador de Nível de Atividade (INA) da indústria de transformação paulista apresentou crescimento de 12,1% em relação ao mês anterior, na série com ajuste sazonal. O resultado indica que a atividade industrial paulista se reestruturou após a perda de (-10%) em maio, por conta da greve dos caminhoneiros que afetou todo cenário econômico brasileiro.

A recuperação surgiu através das vendas reais, que subiram para 24,7% após a queda de 16,6% em maio. Já na série sem ajuste, o indicador obteve uma variação positiva no mês de 7,2%, em comparação a junho de 2017 que teve apenas 4,2% e no acumulado em 12 meses chegou a 5,5%. Os dados foram apresentados no fim de julho pela FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) e CIESP (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo).

O presidente da CIESP e FIESP, José Ricardo Roriz Coelho diz que o resultado do INA é positivo, pois são reflexos e mostram recuperação das perdas enfrentadas no mês da paralização dos caminhoneiros e, para o futuro estima que incertezas constantes podem prejudicar empresários que não estão dispostos a investir em novos meios, tornando ociosas a capacidade das empresas.

Mas a Coneflan se manteve forte diante da crise enfrentada em maio, pois a união empresarial contribuiu para o fortalecimento no mercado, o Grupo Flanjaço também colabora para a retomada do cenário industrial do Brasil. Para mais informações sobre economia e produtos industriais, acompanhe o blog da empresa, que está repleto de conteúdo seguro e de qualidade.